Gol confirma voos para Santa Rosa

Gol confirma voos regionais para seis cidades do RS

Aeronave da Tow Flex que será usada pela Gol para os voos regionais - Divulgação Cristiano Guerra
Apoiadores:

 

A Gol Linhas Aéreas dará início, finalmente, aos voos regionais para seis cidades do Rio Grande do Sul. São elas: Santana do Livramento, Bagé, Santa Rosa, Rio Grande, São Borja e Passo Fundo. Os destinos serão ligados com Porto Alegre.

Assessor da presidência da companhia aérea, Alberto Fajerman confirmou a informação para a coluna Acerto de Contas. A oficialização será feita nesta sexta-feira (12) em reunião da Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais da Assembleia Legislativa.

— Nós terceirizamos as aeronaves, arrendando aviões da Two Flex para a operação, mas são voos da Gol. Cada um tem capacidade para nove passageiros.

As tabelas de voo já estão no site da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Aguardando ainda a oficialização do decreto estadual de estímulo fiscal ao setor, Fajerman espera começar em breve a venda de passagens e que os voos comecem já no mês de agosto. A coluna perguntou se ainda há riscos:

— Não, 100% de certeza de que teremos esses voos — respondeu o executivo.

A reunião da Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais da Assembleia Legislativa será em parceria com a Frente Parlamentar da Aviação Civil Regional. Será uma audiência pública em Santana do Livramento. Presidente da frente parlamentar, o deputado Frederico Antunes (PP) diz que o encontro seguirá debatendo a ampliação da aviação regional no Estado, assim como a retomada dos voos regionais para o aeroporto de Rivera. Terá ainda a participação de representantes da Azul Linhas Aéreas.

Fonte Gaúcha / ZH

Apoiadores:

1 COMENTÁRIO

  1. O retorno de voos regionais a 06 cidades do RS é, ao mesmo tempo, uma boa e péssima notícia. A boa é sem dúvida a ligação aérea. A péssima é a comprovação que é um estado anti-aéreo ao não implementar e desenvolver a infraestrutura necessária a moderna aviação. O retorno a um passado distante com aeronave de 09 lugares comprova o fato. Basta lembrar que essas mesmas linhas regulares foram abandonadas por falta de uma dezena de itens necessários de infraestrutura. Em 1988 a Riosul Linhas Aéreas já voava no estado com aeronaves de 16 e 30 lugares e tudo indicava que a semente da aviação regional iria vingar. Mas, não foi o que aconteceu. Governos municipais e estadual simplesmente acreditaram que a infraestrutura criada em 1960 continuava adequada, mesmo o modal dando sinais de contínuo crescimento e potencial. A aviação regional Brasileira iniciou hoje a substituição do turboélice de 70 lugares pelo jato regional de 135 lugares. E o governo estadual foi e continua displicente com a infraestrutura aeroportuária. Continua reformando e construindo aeroportos para o hoje. Mas, o hoje já é passado. Nos países sérios pista regional tem 2.500 x 45m em cimento Portland, aeroporto principal 3.500 x 60m, balizamento de Led e energia solar, voo por instrumento ILS em complemento ao GPS, etc. etc, e nós? Não precisa ser especialista em aviação para perceber que 90% da frota nas aéreas nacionais será de Airbus A320-NEO e Boeing B737-MAX de 170 a 200 lugares, 8% de jatos regionais e apenas 2% de turboélices e ainda diminuindo. Qual é o planejamento do estado do RS para essa realidade? Saudações & bons voos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui