Rotatividade de funcionários

Apoiadores:

 

Você já deve ter percebido ou vivenciado uma situação parecida com esta: João, foi admitido numa empresa dentro de um determinado setor, mas, em poucos meses foi remanejado para outro setor por não se adaptar naquele em que fora admitido. Em poucos meses, João é demitido da empresa, sendo que a sua permanência na mesma, foi de um período de menos de seis meses. Este é um exemplo que não deveria ser tão comum nas empresas.

Infelizmente, situações assim de entradas e saídas de funcionários, substituições, e remanejamentos, são tão frequentes que recebem até um nome específico, a rotatividade de funcionários. Dessa forma, as empresas utilizam um indicador empresarial, o turnover, usado para mensurar a rotatividade e medir a admissão e a demissão.

Nesse contexto, o que preocupa os gestores são o alto nível de rotatividade, pois, consequentemente, os funcionários não se tornam fixos, o que impede que estejam engajados. A palavra “engajar” nesse sentido, significa a permanência dos funcionários dentro da empresa, e para que isso aconteça, a mesma precisa proporcionar benefícios que mantém esse funcionário fixo, por exemplo, salário de acordo com as suas atribuições, a valorização e feedbacks que os motivam diariamente, o ambiente de trabalho agradável, entre outros benefícios que podem ser proporcionados.

Quando os funcionários são beneficiados pela empresa, consequentemente, oferecem um serviço de maior qualidade, são mais dedicados, buscam qualificar-se com permanência, e compreendem a importância das suas atribuições para a empresa.

Dessa forma, ao calcular o índice de rotatividade, através da turnover, a empresa obtém uma visibilidade maior em relação ao engajamento dos funcionários, se o nível de rotatividade está alto ou baixo. E neste momento, precisa repensar quais os fatores que levam a alta rotatividade dos funcionários, e imediatamente, buscar melhorias na empresa.

Apoiadores:
COMPARTILHAR
Artigo anteriorVida & Saúde completa 84 anos
Próximo artigoBem estar e relacionamentos na visão holística!
Nadine Freddi
Meu nome é Nadine Freddi, sou Pedagoga desde 2017, ano em que formei, sou pós-graduada em Pedagogia Empresarial e Psicologia Educacional. Tenho os livros como grandes amigos, procuro rotineiramente estar em contato com eles, sempre digo que leitura para mim é como combustível é onde recarrego minhas energias e onde encontro paz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui